sábado, 18 maio, 2024

TURISMO

Silva Jardim, capital do ecoturismo do Rio de Janeiro

Silva Jardim
Lagoa de Juturnaíba - Foto: Luiz Thiago de Jesus

 

*Por Evaldo Peclat Nascimento

 

Tendo como slogan “Silva Jardim, Capital do Ecoturismo” (o que inclusive está na publicidade dos ônibus gratuitos da cidade), o Município, situado a 110 quilômetros do Rio de Janeiro, tenta aproveitar cada vez mais o seu potencial ecoturístico para atrair visitantes às suas muitas belezas naturais. Entre elas, a lagoa de Juturnaíba e as cachoeiras “Poço das Andorinhas” e “Sete Quedas”, na Fazenda “Shangrilá”, ambas no distrito de Aldeia Velha. Assim como os ainda límpidos e cristalinos rios de Pirineus e Bananeiras e da própria Aldeia Velha.

Uma dupla de agentes culturais do Município elaborou inclusive o “Plano Estratégico de Turismo de Silva Jardim (PET/SJ)” como forma de colaboração e sugestão neste sentido à Municipalidade. Ele prevê e lista a realização de uma série de atividades turísticas, ecoturísticas, culturais, educacionais, institucionais, comerciais, de lazer e esportivas. Inclusive visando tornar tais ações economicamente rentáveis para o Município, aproveitando e integrando os seus diversos pontos turísticos. Como o Centro da cidade, a Lagoa de Juturnaíba, o distrito de Aldeia Velha e os rios Capivari, São João, Pirineus e Bananeiras, entre outros. (Vide a página “Plano Estratégico de Turismo de Silva Jardim – PET/SJ”, no Facebook).

Situado na Região da Baixada Litorânea, o Município possui um clima temperado, entre as Regiões dos Lagos e Serrana. Faz divisa com os municípios de Araruama, Casimiro de Abreu, Nova Friburgo e Cachoeiras de Macacu, assim como Rio Bonito. Dispõe, ainda, de uma extensa cobertura de Mata Atlântica (60% de vegetação nativa) o que possibilita a existência de cerca de 20 Reservas Particulares do Patrimônio Natural (RPPNs). Por conta dos seus múltiplos dotes naturais e ecológicos, já figurou por três anos consecutivos como primeira colocada no ranking do ICMS Verde do Estado do Rio de Janeiro.

A Lagoa de Juturnaíba, por exemplo, com quase 50 quilômetros de perímetro (espelho d’água), é a segunda maior lagoa de água doce do Estado (fica atrás apenas da Lagoa Feia, que tem 138 km de perímetro, em Campos dos Goytacazes). Nela, além da pesca esportiva do tucunaré, espécie originária da Amazônia, também podem ser praticadas competições de natação, jet ski e vela, como já aconteceram algumas vezes. É dela que pescadores de uma colônia de pesca local tiram os seus sustentos, e os restaurantes fazem os seus pratos típicos.

Também conta com faixas de areias para banhistas, além de restaurantes. Nas estações mais quentes do ano, como a que se inicia, alguns proprietários de barcos e pescadores locais oferecem passeios aos vários recantos da lagoa a fim de que os visitantes observem a sua rica fauna (capivaras, jacarés, lontras, ariranhas, garças, patos d´água, frangos d´água, socós e diversos tipos de pássaros) e flora (apresenta várias ilhas vegetais floridas flutuantes que se deslocam ao sabor dos ventos). Ela fica a cerca de 10 quilômetros do Centro de Silva Jardim. E pode ser acessada tanto por uma entrada situada na chegada do Centro da cidade, quanto pelo bairro de Cabiúnas. O que leva a um recanto do espelho d’água muito procurado por pescadores com anzóis.

O “Poço das Andorinhas”, por sua vez, é uma cachoeira administrada por um empreendimento particular que faz a manutenção cobrando uma taxa de visitação. O local dispõe de um pequeno restaurante e estacionamento. Oferece, também, atividades esportivas como rapel e tirolesa. Fica a cerca de 10 quilômetros do centro do vilarejo de Aldeia Velha. No mesmo distrito ficam as cachoeiras da Fazenda Shangrilá, cujas visitações são programadas e acompanhadas por guias, as quais são acessadas por trilhas ecológicas. A fazenda fica a 1,5 quilômetros do Centro do povoado.

Silva Jardim
Cachoeira Poço das Andorinhas, em Aldeia Velha – Foto: Divulgação

Ainda em Aldeia Velha, os visitantes que não querem ir até as cachoeiras, se banham nos rios que cortam o centro da localidade. O vilarejo dispõe de várias pousadas para hospedagens dos visitantes. O rio Bananeiras, no centro do povoado do mesmo nome; e o Pirineus, em Gaviões, são outros pontos bastante procurados por visitantes de dentro e fora do Município, principalmente durante o verão, fins de semanas, feriados e férias. No distrito de Bananeiras, destaca-se o “Poço da Ponte” do rio Bananeiras, e as cachoeiras do “Roncador” e “Pilão”. Já o rio Pirinéus conta com vários pontos para banhistas a exemplo dos poços “Verde”, “Igreja”, “40 Graus”, “Azul”, “Prainha” e “Ângelo”.

No que se refere ainda ao “Turismo Ecológico”, o Município conta com a observação programada do mico-leão-dourado, espécie ameaçada de extinção que é preservada pela “Associação Mico-Leão-Dourado”, da Reserva Biológica de Poço das Antas. Os primatas podem ser vistos por visitantes de forma dirigida numa área verde situada na entrada da localidade de Imbaú, quase às margens da Rodovia BR-101. Outra opção são as “Caminhadas na Natureza”, também programadas periodicamente pela Rebio Poço das Antas.

Silva Jardim
Mico-leão dourado – Foto: Luiz Thiago de Jesus

Fazendo divisa com Nova Friburgo e Cachoeiras de Macacu, o Município de Silva Jardim detém em seu território parte do “Parque Estadual dos Três Picos”, onde também pode programar e implantar atividades de visitações para o ecoturismo. O “Parque Estadual dos Três Picos” dispõe de cerca de 60 mil hectares que se dividem, ainda, entre as cidades de Teresópolis e Guapimirim. Suas elevações são os pontos culminantes da Serra do Mar.

 

Informações sobre o município

Prefeita: Maira Branco Monteiro (MDB)
Número de vereadores: nove
PIB: R$ 560 millhões

 

SERVIÇOS:

 

HOSPEDAGENS

ALDEIA VELHA: Hotel Fazenda “Acácia Imperial”, pousada “Beira Rio”, Pousadas “Estrela Dalva D’Aldeia”, “D’Aldeia” e “dos Pássaros” e “Camping do Bambu”.

CENTRO DA CIDADE: Pousada “Ipuca” e hotel “Eldorado”, além de “Lagoa Azul” e “VCP”, os dois últimos já no bairro de Mato Alto.

 

RESTAURANTES:

ALDEIA VELHA: Restaurantes “Sabor da Aldeia”, “Aldeia Velha”, “Bicho do Mato”, “Beira Rio” e “Aldeia do Reggae”.

CENTRO DA CIDADE: Restaurantes “Toca do Peixe”, “Ninha”, “Estação” “Gaúcho”, “Pizzaria e Restaurante do Antônio”, “Salve Silva Cervejaria”, “Portuga”, “Recanto do Sabor” e “Genus Bistrô.

LAGOA DE JUTURNAÍBA: Restaurante e Pousada “Peixe Vivo”, “Egger Deguster” e “Lago Restaurante”.

 

*Evaldo Peclat Nascimento é Jornalista, Professor, Poeta e Conselheiro do Conselho Municipal de Cultura de Silva Jardim

 

Confira outras notícias da editoria TURISMO clicando aqui.