sábado, 13 abr, 2024

Raquel Machado: A vida após os trinta

Raquel Machado

Por Raquel Machado*

 

Existe prazo pra tudo nessa vida. Até os dezoito anos tem que ter o ensino médio, até os vinte e cinco tem que estar formado(a) e empregado(a). Até os trinta, estabilizado(a) e casado(a), quiçá já não ter feito o primeiro milhão!

A pressão social é algo que sempre existiu e sempre vai existir, pois a sociedade se baseia em parâmetros. Mas como seria viver sem essas caixas apertadas que tentamos caber todos os dias?

Com o passar dos anos, essas caixas sociais vão se multiplicando e ficando cada vez maiores, o que pode causar ansiedade, frustração e até depressão em quem insiste em morar lá dentro.

A vida não é linear e nem consegue ser colocada, vista e sentida por nenhum ângulo reto. E é aí que está nossa falha, querer que a própria vida caiba num gráfico linear e seguro, quando estamos mais pra um passeio de montanha russa.

Você teve pais que ninguém mais teve, você passou por coisas que ninguém mais passou do jeito que você passou. Os seus amigos, as experiências, os traumas, as solidões, os abandonos, os abusos, as felicidades, as tradições familiares, os seus ancestrais… são só seus. Então como que sua vida pode se comparar com a de outra pessoa?

Comparar faz mal

A comparação é uma das coisas mais cruéis que podemos fazer com nós mesmos. Isso porque sempre que vamos comparar, pegamos o nosso pior e colocamos lado a lado com o melhor do outro. Desse modo, a comparação nunca será justa.

Uma vez atendi uma paciente de cinquenta anos que tinha tido duas gravidezes, havia passado por alguns procedimentos estéticos e era sim uma mulher belíssima. Um dia ela levou ao consultório sua dor por ver uma mulher com o corpo mais bonito que o dela, segundo suas percepções. Então eu a questionei:

— Ela tem a sua idade?

— Não, deve ter uns vinte e dois anos.

— Ela passou por duas gravidezes?

— Creio que não.

— Ela tem a sua história de vida?

— Com certeza não.

— Então porque está se comparando com algo incomparável? Porque você acha que não tem o direito de se ver bonita e se sentir confortável com você mesma?

Em um mundo onde tudo tem regras veladamente profundas, se sentir confortável é quase uma afronta.

A barreira dos 30

Sempre está faltando alguma coisa para ser feliz, para ter sucesso, para ser bonita, para ser aceita, para ser realizada, para sentir paz.

Você tem mais de trinta e ainda não está onde deseja? Deixa eu te contar um segredo, noventa e cinco por centro da população sente a mesma coisa e está tudo bem.

Não se apegue a prazos sociais. Estabeleça os seus prazos, regados a amor e gentileza com você mesmo(a).

Você pode viver várias vidas em uma só. Pode mudar o rumo das coisas a qualquer momento. Você pode decidir seguir novos caminhos e com novas pessoas. As amarras sociais, ideológicas, etárias, religiosas, familiares, estão na sua cabeça. Você pode ressignificar as coisas e ajustar as velas sempre que quiser.

Abra as algemas, você tem a chave.

*Raquel Machado é psicanalista, mãe do Felipe e escritora nas horas vagas. Palestrante, M.A. em Neurociência, Analista Didata e uma entusiasta do comportamento humano.

 

Confira outros artigos da editoria OPINIÃO clicando aqui.