sexta-feira, 1 dez, 2023

Saúde

Autismo: projeto transforma a vida de Luiza

Autismo
Divulgação

O esporte é um aliado para as pessoas diagnosticadas com TEA (Transtorno do Espectro Autista). Afinal, além de ajudar na saúde física, auxilia na coordenação motora, na comunicação e na interação social. Aliás, uma pesquisa realizada pela National Library of Medicine (2021) com 229 crianças e adolescentes diagnosticados com autismo, mostrou que a atividade física melhora de forma expressiva um conjunto de habilidades, como déficit de atenção, interação social, comportamento verbal, entre outras.

Luiza Vitória dos Santos Souza, de 8 anos, é um exemplo de como o esporte pode ajudar no desenvolvimento de uma criança com TEA.  Há mais de dois anos ela é aluna dos projetos viabilizados pela De Peito Aberto (DPA).  A iniciação foi no futsal pelo projeto Esporte na Cidade, realizado em Suzana, na Zona Rural do município de Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte.

“Foi um achado, até porque muitas pessoas não têm paciência em lidar com os autistas pelo fato do comportamento diferenciado. Eles (professores da DPA) têm habilidades com as crianças, sabem ensinar, são pacientes”, explica Luciane, 43 anos, mãe de Luiza. 

 

Primeiras mudanças

 

No caso da Luiza, segundo a mãe, as primeiras transformações foram na coordenação e capacidade de socialização. “Ela brigava muito. O professor Iles logo percebeu e, toda vez que isso acontecia, ela ia para o banco de reservas. O professor foi bem paciente com ela”.

Para o professor Iles Gomes, foi nítida a evolução da Luiza no projeto, que inclusive chegou a perder peso com as atividades realizadas. “Ajudou a se desenvolver em diferentes pontos, como a concentração por exemplo”, conta o profissional de Educação Física.

Apesar de ter mudado de cidade, Luiza seguiu as atividades em Mário Campos. Para a surpresa da família, o município mineiro também é sede de um dos projetos da De Peito Aberto. “Reconhecemos pelo uniforme que eles dão para as crianças. A Luiza tinha uma camisa com a mesma logomarca. Não pensamos duas vezes”, lembra Luciene.   

 

Skate

 

Em Mário Campos, o projeto Esportes Olímpicos para Todos atende  200 crianças e adolescentes com idade entre 6 e 17 anos. A iniciativa promove aulas gratuitas de skate e judô na Escola Municipal Antônio Gonçalves Penido. Luiza é uma das alunas do Skate.

“Ela adora ir, não perde um treino. Do Skate ela gosta mais ainda”, explica Luciene. Para a mãe de Luiza, o skate foi fundamental para a jovem atleta evoluir no quesito coordenação motora. 

Desse modo, a transformação da Luiza também foi sentida fora das quadras. “Agora onde ela chega faz amizade fácil. Consegue conversar com todo mundo. Sem falar da motivação que ela tem em participar das atividades”, conta Luciene.

“O esporte inegavelmente é uma ferramenta poderosa para a transformação social. Ele pode ajudar crianças e adolescentes a desenvolverem habilidades físicas, cognitivas e sociais, além de promover a inclusão e a igualdade”, explica o diretor e co-fundador da De Peito Aberto, Wenceslau Madeira.

Desenvolvido por meio da Lei Federal de Incentivo ao Esporte com patrocínio de grandes empresas e apoio de prefeituras locais, os projetos da De Peito Aberto realizam atividades em escolas públicas e espaços esportivos para a iniciação de crianças em modalidades como basquete, judô, vôlei, skate e futebol, entre outras.