sábado, 13 abr, 2024

Putin constrange embaixadores dos EUA e da UE

Presidente da Rússia
Sputnik/Vladimir Astapkovich/Pool via REUTERS

 

Da Agência Reuters

 

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse nesta quarta-feira aos novos embaixadores dos Estados Unidos e da União Europeia em linguagem direta que seus países são responsáveis por uma deterioração dramática nas relações desde que a Rússia enviou suas Forças Armadas à Ucrânia no ano passado.

Os embaixadores estavam entre os 17 que apresentaram formalmente suas credenciais diplomáticas a Putin em uma cerimônia televisionada no Kremlin.

Putin disse à nova embaixadora dos EUA, Lynne Tracy, que o apoio norte-americano a uma revolução na Ucrânia em 2014 levou à situação atual, com Rússia e Ucrânia em conflito.

Ele afirmou que as relações estão em “uma crise profunda” que se baseia “em abordagens fundamentalmente diferentes para a formação da ordem mundial moderna”.

“Cara senhora embaixadora, sei que pode não concordar, mas não posso deixar de dizer que o uso pelos Estados Unidos… de ferramentas como o apoio às chamadas ‘revoluções coloridas’, o apoio nesse sentido ao golpe em Kiev em 2014, acabou levando à crise ucraniana de hoje”, disse Putin.

A Rússia respondeu a um levante em Kiev que expulsou um presidente pró-Rússia em 2014 ao tomar a península da Crimeia da Ucrânia e apoiar um movimento separatista armado que assumiu o controle do território no leste da Ucrânia.

Putin adotou uma linha semelhante com o novo embaixador da UE, Roland Galharague, que assumiu o cargo em setembro, dizendo-lhe que “a União Europeia iniciou um confronto geopolítico com a Rússia”.

As relações entre a Rússia e o Ocidente já estavam bastante tensas antes de o país começar o que chama de “operação militar especial” na Ucrânia, mas pioraram ainda mais desde então.

 

Confira outras noticias da editoria GEOPOLÍTICA clicando aqui.