terça-feira, 16 abr, 2024

Blinken reafirma solução de dois Estados ao desembarcar em Israel

Secretário de Estado dos EUA
RONALDO SCHEMIDT/Pool via REUTERS

Da Agência Reuters

 

O secretário de Estado dos Estados Unidos, Antony Blinken, pediu a Israel e aos palestinos que acalmem as tensões em sua visita nesta segunda-feira durante a pior violência em anos, reafirmando uma visão de paz há muito paralisada como “único caminho” a seguir. Ao concentrar censura em um ataque palestino do lado de fora de uma sinagoga que colocou Israel em alerta máximo, Blinken também alertou contra qualquer celebração ou vingança.

Sete pessoas foram mortas a tiros no ataque de sexta-feira em Jerusalém Oriental por um homem que foi morto pela polícia. Conhecido por muitos compatriotas palestinos, ele não tinha ligações conhecidas com grupos militantes. Um dia antes, Israel realizou uma incursão extraordinariamente intensa no campo de refugiados de Jenin, na Cisjordânia ocupada, matando 10 residentes, a maioria deles homens armados. Pelo menos 35 palestinos morreram no aumento da violência desde 1º de janeiro, dizem autoridades médicas.

“É responsabilidade de todos tomar medidas para acalmar as tensões, em vez de aumentá-las”, disse Blinken a repórteres após pousar em Tel Aviv.

O ataque de sexta-feira, afirmou ele, “foi mais do que um ataque a indivíduos. Foi também um ataque ao ato universal de praticar a fé. Nós o condenamos nos termos mais fortes.”

“E condenamos todos aqueles que celebram estes e quaisquer outros atos de terrorismo que tiram vidas inocentes, não importa quem seja a vítima ou no que acreditam. Pedidos de vingança contra mais vítimas inocentes não são a resposta.”

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, com quem Blinken se encontraria ainda nesta segunda-feira, pediu que mais cidadãos carreguem armas como precaução contra tais ataques de rua. Mas ele também alertou os israelenses a não recorrerem à violência vigilante.

Blinken deve se encontrar com o presidente palestino, Mahmoud Abbas, na terça-feira.