sábado, 13 abr, 2024

Caio Bailly conquista o Campeonato Brasileiro de Vela

Campeonato Brasileiro de Vela (Divulgação).
Campeonato Brasileiro de Vela (Divulgação).

Da Tribuna da Imprensa

O atleta Caio Bailly levou sua equipe à conquista do Campeonato Brasileiro de Vela 2022, evento inédito disputado na Marina da Glória, no Rio de Janeiro (RJ). O representante da classe J24 superou os times da 470 (Luisa Gandolpho) Snipe (Juliana Duque) e J70 (Renato Cunha) nas finais desta sexta-feira (16), na Baía de Guanabara.

Nas regatas decisivas, o time da J24 venceu duas e ficou em terceiro na última, levando a medalha de ouro do torneio organizado pela Confederação Brasileira de Vela – CBVela. A equipe do niteroiense Caio Bailly, de 21 anos, teve também Bruna Patrício, Tiago Bailly, Matheus Santos e Marco Paulo Castro.

A medalha de prata ficou com a equipe do 470 liderada pela carioca Luisa Gandolpho, com a tripulação formada por Antônio Gandolpho, Pedro Wiegand, Diego Rocha e Nicolas Bernal. Fechando o pódio, o barco da classe Snipe comandado pela bicampeã mundial Juliana Duque com Rafael Martins, Alberto Vita e Daniel Seixas.

”A gente veleja junto há muito tempo e a idade não é impedimento para nada. Nossa equipe estava bem versátil. Eu estava no leme, principalmente com o Marcos Paulo e Matheus, que velejam muito e são mais ligados nisso. O Marcos ficou de proeiro, a Bruna ficou de mastro, o Thiago ficou na secretaria e o Matheus de trimmer”, disse Caio Bailly, que levou para a J24 a posse do Troféu Eduardo Souza Ramos.

 

Mais eventos em 2023

 

O Campeonato Brasileiro de Vela é uma nova iniciativa da CBVela para fazer competições com veleiros iguais e com finais com pontuações zeradas. A organizadora do evento forneceu os veleiros J24 para as equipes. Os barcos foram iguais para todos os times. Os veleiros foram cedidos pela Escola Naval e a CBVela fez a maioria das regulagens.

Cada classe olímpica e pan-americana escolheu seu capitão, que por sua vez montou sua equipe para correr as regatas em estilo match, num cenário parecido com a SSL Gold Cup.

”Queremos fazer um campeonato com modelo mais divertido e mais fácil de entender, com um campeão só, onde pode misturar pessoas de todas as idades, biotipos e dos dois gêneros. Teve gente de 72 anos correndo. E de 20 também! É um formato fácil para o público entender, com regatas de percurso, por exemplo. A ideia é deixar a vela mais popular”, contou Marco Aurélio de Sá Ribeiro, presidente da CBVela.

O representante da entidade máxima da vela entende que é necessário dar espaço para todos. ”E outra coisa que percebemos é a imprensa. Queríamos fazer um campeonato mais fácil de entender. Agora, fica claro para a imprensa quem é o grande campeão brasileiro de vela em 2022”.

O evento estará no calendário oficial da vela nacional a partir de agora e deve ser em novembro no ano que vem.