quarta-feira, 24 abr, 2024

Esporte

Bernardinho e Zé Roberto lamentam morte de Walewska

Walewska
Reprodução/Instagram

A central Walewska Moreira de Oliveira morreu na noite desta quinta-feira, em São Paulo. Campeã olímpica com a seleção brasileira de vôlei em 2008, a atleta estava aposentada desde o final da temporada 2021/2022, quando defendia o Praia Clube, de Uberlândia (MG). Até a manhã desta sexta-feira, a causa da morte da ex-jogadora não havia sido confirmada. Não foram divulgados maiores detalhes sobre os motivos do falecimento.

A Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), em nota oficial, lamentou o falecimento da atleta, que além do ouro em Pequim 2008, também ganhou o bronze em Sydney 2000, três títulos do Grand Prix, os Jogos Pan-Americanos de 1999 e a Copa das Campeões de 2013 pela equipe nacional. “Walewska era uma jogadora especial, sua trajetória no esporte será para sempre lembrada e reverenciada. Neste momento tão difícil, a CBV se solidariza com a família e os amigos desta grande jogadora”, disse o presidente da CBV, Radamés Lattari.

 

Choque

 

Dois dos principais técnicos da história do vôlei mundial, José Roberto Guimarães e Bernardinho disseram estar chocados com a morte de Walewska. Zé Roberto, que treinou Walewska no Campinas e também na seleção, disse ter ficado “sem chão” com a notícia.

“A gente fica sem chão para saber e entender as coisas. Mas é difícil falar sobre isso. Abalou todo mundo”, declarou o treinador, em entrevista à TV Globo, após a derrota da seleção brasileira feminina para a Turquia no Pré-Olímpico, em Tóquio.

“É um momento muito difícil, muito complicado. Um pouco antes do jogo é que falamos sobre o assunto com as jogadoras. Colocarmos a tarja… É um momento de muita tristeza e dificuldade para todo mundo. Conhecendo a Walewska como conhecemos, ela foi um exemplo de dedicação e comprometimento, tinha tudo de bom que uma jogadora e uma atleta, uma pessoa, pode ter. Ela sempre se cuidou muito, sempre ajudou o time, sempre tentou fazer tudo certo, da melhor maneira possível desde muita pequena”, completou.

 

Exemplo

 

Walewska jogou sob o comando de Zé Roberto por diversos anos ao longo de sua carreira: “Era aquela atleta que todo técnico gostaria de ter, de disciplina, comprometimento, de foco e preocupação com as outras jogadoras do time. Ela se preocupava em fazer os fundamentos bem feitos, da melhor maneira possível, de tudo convergir para o time. Ela deixou um legado como atleta, é um dos maiores exemplos que já vi. E pude vivenciar com ela todos os momentos em que tivemos juntos no clube e na seleção. Vai deixar muita saudade para essa meninas, que jogaram com ela, participaram com ela de várias etapas e jornadas. E vai deixar o exemplo para estas meninas mais novas sobre o significado de ser uma grande atleta”.

Por fim, Bernardinho, que também foi técnico da seleção feminina, disse não acreditar no episódio triste.

“Uma menina que eu vi se transformar em uma mulher incrível. Uma pessoa com uma energia lá em cima, dentro de quadra uma guerreira, amiga… Sempre demonstrou um carinho enorme com todos, aquele abraço que acolhia a todos. Uma aspirante que se tornou uma campeã”, comentou.

Assim como Zé Roberto, Bernardinho exaltou a trajetória de Walewska. “Eu realmente participei da transformação daquela ‘lagartinha’ numa borboleta linda, que voou pelo mundo, conquistou tantas coisas, mas nos deixou tão jovem, tão cheia de energia. Difícil demais de acreditar.”

Fontes: Agência Brasil e Estadão Conteúdo

 

Confira outras notícias da editoria ESPORTE clicando aqui.