segunda-feira, 20 maio, 2024

Argentina joga bem, derrota a Polônia e está nas oitavas

Mesmo com atuação apenas mediana de Lionel Messi, Argentina jogou bem e venceu (REUTERS).
Mesmo com atuação apenas mediana de Lionel Messi, Argentina jogou bem e venceu (REUTERS).

Claudio Fernandes e Agência Brasil

Com o evidente exagero, é possível dizer que a Argentina estreou na Copa do Mundo nesta quarta-feira. Se não o país, porque já havia perdido para a Arábia Saudita na primeira rodada e vencido – jogando mal – o México, na segunda, certamente o futebol argentino finalmente apareceu no Qatar. E também por isso, venceu com autoridade a Polônia por 2 a 0. Tanta autoridade que nem precisou do brilho do astro Lionel Messi, que perdeu um pênalti e atuou bem abaixo do seu melhor. Não fez gol e sequer deu uma assistência.

Com o resultado, a seleção albiceleste se classificou na primeira posição do Grupo C e enfrentará a surpreendente Austrália, sábado, às 16h, nas oitavas de final. Mesmo derrotada e produzindo – desta vez sem exageros – absolutmente nada de relevante durante todo o jogo, a seleção polonesa ficou com a segunda vaga e terá pela frente a França, atual campeã mundial, na próxima fase. A partida será também no sábado, só que ao meio-dia.

O primeiro tempo foi um massacre argentino para cima da Polônia. Regidos por Messi, os hermanos finalizaram 14 vezes, sendo nove em direção à meta de Wojciech Szczesny. Aos nove minutos, o goleiro polonês salvou um chute cruzado do craque, na área pela esquerda. Aos 16, o camisa 10 lançou Marcos Acuña na esquerda. O lateral, na área, levou à perna direita e mandou por cima do travessão. Aos 27, Acuña teve uma nova chance, na sobra de uma finalização do atacante Julián Álvarez. O chute, da entrada da área, saiu rente à trave esquerda.

Aos 36 minutos, Álvarez recebeu do meia Alexis Mac Allister na área e finalizou cruzado, para mais uma defesa de Szczesny. No rebote, o atacante do Manchester City (Inglaterra) cruzou pela esquerda e o goleiro acabou atingindo o rosto de Messi na área. Com auxílio do árbitro de vídeo (VAR), o pênalti foi assinalado. O camisa 10 cobrou, mas o arqueiro se lançou no canto esquerdo e salvou uma penalidade pela segunda vez nesta Copa.

A pressão da Argentina, que continuou após o pênalti perdido, não arrefeceu na volta do intervalo, com a diferença que, enfim, a rede balançou. Antes do cronômetro completar o primeiro giro, Molina recebeu pela direita do atacante Ángel Di Maria e cruzou rasteiro para Mac Allister, revelação de 23 anos, colocar a equipe sul-americana à frente.

A fome argentina não estava saciada. Com Messi se multiplicando à frente, os hermanos continuaram alugando o campo de ataque, rondando a área dos europeus, que pouco faziam para se desvencilharem da pressão. Questão de tempo, o segundo gol saiu dos pés de mais duas jovens promessas. Aos 22 minutos, Enzo Fernández, 21 anos, encontrou Álvarez na área. O atacante, de 22 anos, bateu no ângulo de Szczesny – que, três minutos depois, evitou o terceiro ao salvar uma conclusão de Messi, após cruzamento de Enzo Fernández, pela esquerda.

Acuada, a Polônia parecia mais preocupada em evitar outro gol, que poderia custar a vaga às oitavas, mas seguiu dando espaços à Argentina. Aos 40 minutos, o atacante Lautaro Martínez foi lançado pelo volante Rodrigo De Paul, entrou na área pela direita e bateu cruzado, próximo à trave direita, na última boa chance da partida.

Após o apito final, enquanto a torcida argentina comemorava, a polonesa, tensa, voltou as atenções ao jogo entre México e Arábia Saudita, que estava já nos acréscimos. Os mexicanos venciam por 2 a 0 e estavam a um gol da classificação, mas quem balançou as redes foram os sauditas, com o atacante Salem Al-Dawsari. Apesar da derrota, os europeus celebraram a vaga nas oitavas.

 

Confira outras notícias da editoria ESPORTE clicando aqui.