quarta-feira, 22 maio, 2024

Lucro da Caixa soma R$3,2 bi no 3º trimestre

Pessoas usando máscaras de proteção facial passam em frente à agência da Caixa no Rio de Janeiro 05/05/2020 REUTERS/Pilar Olivares

Da Agência Reuters

A Caixa Econômica Federal divulgou nesta quarta-feira lucro líquido contábil de 3,2 bilhões de reais no terceiro trimestre, quase estável na comparação ano a ano (+0,5%), enquanto na base trimestral saltou 75,9%, em resultado marcado por recorde em originação de crédito e queda na inadimplência. De acordo com o banco estatal, o crescimento na base trimestral ocorreu por meio de aumento nas receitas de prestação de serviços e melhora na qualidade e solidez da carteira.

A carteira de crédito encerrou setembro com um saldo de 977 bilhões de reais, alta de 16% em 12 meses. De julho a setembro, foram concedidos 146,6 bilhões de reais em crédito para a população, alta de 23,4% ano a ano e maior volume de contratação em um trimestre na história, de acordo com o banco estatal. A inadimplência da carteira de crédito, por sua vez, fechou o terceiro trimestre em 1,94%, redução de 0,22 ponto percentual frente ao mesmo período de 2021.

De acordo com o banco, 92,5% dos créditos foram classificados nos ratings entre AA-C, “o melhor índice já alcançado, demonstrando a qualidade da carteira”. Um ano antes havia sido 92,2% e no segundo trimestre, 92,1%. A margem financeira da Caixa somou 12,5 bilhões, alta de 2,8% em relação ao mesmo período do ano passado, segundo a instituição, “valor decorrente de bons desempenhos nas receitas com operações de crédito e no resultado com operações de títulos e valores mobiliários”.

As receitas provenientes da carteira de crédito aumentaram 47,1% e as receitas de prestação de serviços cresceram 7,1%, ambas na comparação anual. O retorno sobre o patrimônio líquido ficou em 9,23%, um tombo ante os 19,82% do final do terceiro trimestre de 2021, mas quase estável ante os 9,55% do trimestre imediatamente anterior. Ao final do trimestre, os ativos da Caixa somaram 1,6 trilhão de reais, aumento de 5,1% em relação ao final de setembro de 2021.

 

Confira outras notícias da editoria ECONOMIA clicando aqui.