sábado, 13 abr, 2024

Exportação de carne de frango do Brasil sobe 4,6%

Carne de frango em frigorífico
REUTERS/Paulo Whitaker

Da Agência Reuters

 

As exportações brasileiras de carne de frango totalizaram 4,822 milhões de toneladas em 2022, recorde histórico e que supera em 4,6% o total exportado em 2021, com impulso de fatores relacionados ao conflito na Ucrânia e questões sanitárias em alguns países, informou a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) nesta terça-feira.

A receita obtida com as exportações alcançou 9,762 bilhões de dólares, outro resultado histórico, com alta de 27,4% ante 2021, com ajuda adicional de preços mais altos, relatou a ABPA, que representa empresas como a BRF e JBS.

“A reconfiguração do mercado internacional de proteína animal, marcado pelos efeitos do conflito no Leste Europeu, do aumento dos custos de produção na União Europeia e do quadro sanitário da avicultura nos cinco continentes, está entre os fatores determinantes para os recordes registrados…”, disse o presidente da ABPA, Ricardo Santin, em nota.

“Neste contexto, o Brasil, que nunca registrou casos e é livre de Influenza Aviária, se manteve como porto seguro para o suprimento global de carne de frango e deve sustentar os mesmos patamares de exportações em 2023”, acrescentou ele.

A produção e exportação de carnes de frango e suína do Brasil crescerão em 2023, previu em dezembro a ABPA. As exportações de carne de frango alcançaram 386,3 mil toneladas em dezembro –considerando produtos in natura e processados–, volume 6% menor que o registrado no último mês de 2021.

Contudo, houve aumento de 9,2% na receita de exportações de carne de frango em dezembro, chegando a 785,2 milhões de dólares. Entre os principais destinos de exportações do Brasil em 2022, a China seguiu como o principal, com 540,5 mil toneladas importadas, mas um volume 15,6% menor que o registrado em 2021.

Em segundo lugar, os Emirados Árabes Unidos importaram 444,9 mil toneladas no ano passado, superando em 14,2% o total embarcado no ano anterior. Outros destaques foram as Filipinas, com 246,3 mil toneladas (+46,5%), União Europeia, com 237,9 mil toneladas (+22,8%), e Coreia do Sul, com 185,4 mil toneladas (+62,9%).

 

Confira outras notícias da editoria AGRO clicando aqui.